Tag Archives

piedade

Checklist

setembro 19, 2010 0 comentários

“Então, parou Jesus e mandou que lho trouxessem. E, tendo ele chegado, perguntou-lhe: Que queres que eu te faça? Respondeu ele: Senhor, que eu torne a ver” . Lucas 18:40,41

Na minha constante luta em conseguir enxergar a vida sob a ótica de um peregrino que está de passagem sobre essa terra até chegar em sua verdadeira pátria me deparei com um texto escrito pelo irmão Tozer (velho companheiro nas minhas meditações).

Fazermos um check-list periódico pode nos ajudar a sermos mais sinceros e transparentes com a nossa consciência diante do Senhor. Pelo impacto das palavras e pela simplicidade de tal auto-avaliação, compartilho o pensamento do irmão com o desejo de não andarmos na cegueira.

“ Podemos ser conhecidos pelo seguinte:

  1. O que mais desejamos. Basta ficarmos quietos, aguardando que a excitação dentro em nós se acalme, e a seguir prestar cuidadosa atenção ao tímido clamor do desejo. Pergunte ao seu coração: o que você mais desejaria ter no mundo? Rejeite a respostaconvencional. Insista em obter a verdadeira, e quando a tiver ouvido saberá o tipo de pessoa que é.
  2. O que mais pensamos. As necessidades da vida nos induzem a pensar em muitas coisas, mas o teste real é descobrir sobre o que pensamos voluntariamente. Nossos pensamentos irão com todaproba­bilidadeagrupar-se ao redor do tesouro secreto do coração, e qual for ele revelará o que somos.“Onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração.”
  3. Como usamos nosso dinheiro.Devemos ignorar de novoaque­les assuntos sobre os quais não exercemos pleno controle. Devemos pagar impostos e prover as necessidades da vida para nós e nossa família, quando a temos. Isso não passa de rotina e diz pouco a nosso respeito. Mas o dinheiro que sobrar para ser usado no que nos agrada irá contar-nos sem dúvida muita coisa sobre nós.
  4. O que fazemos com as nossas horas de lazer.Grande parte de nosso tempo é usado pelas exigências da vida civilizada, mas sempre temos algum tempo livre. O que fazemos com ele é vital. A maioria das pessoas gasta esse tempo vendo televisão, ouvindo o rádio, lendo os produtos baratos da imprensa ou envolvendo-se em conversas frívolas. O que eu faço com o meu tempo revela a espécie de homem que sou.
  5. A companhia de que gostamos.Existe uma lei deatraçãomoral que chama o homem para participar da sociedade que mais se assemelha a ele. O lugar para onde vamos quando temos liberdade para ir aonde quisermos é um índice quase-infalível de nosso caráter.
  6. Quem e o que admiramos.Suspeito desde há muito tempo que a grande maioria dos cristãos evangélicos, embora mantidos mais ou menos em linha pela pressão da opinião do grupo, sentem de todo modo uma admiração ilimitada, embora secreta, pelo mundo. Podemos conhecer o verdadeiro estado de nossas mentes,exami­nando nossas admirações não-expressas. Israel admirou e até inve­jou com freqüênciaas nações pagãs ao seu redor, esquecendo-se assim daadoção e da glória, das leis, das alianças e das promessas e dos pais. Em vez de culpar Israel, façamos uma auto-analise.
  7. Sobre o que podemos rir.Pessoa alguma que tenha qualquer consideração pela sabedoria de Deus iria argumentar que exista algo errado com o riso, desde que o humor é um componente legítimo de nossa natureza complexa. Quando nos falta o senso de humor, falhamos também nessa mesma proporção em equiparar-nos àhumani­dade sadia. Mas o teste que fazemos aqui não é sobre o fato de rirmos ou não, mas do que rimos. Algumas coisas ficam fora do campo do simples humor. Nenhum cristão reverente, por exemplo, acha a morte engraçada, nem o nascimento, nem o amor. Nenhum indivíduo cheio do Espírito pode rir das Escrituras, da igreja comprada por Cristo com o seu próprio sangue, da oração, da retidão, do sofrimento ou dor da humanidade. E certamente ninguém que já esteve na presença de Deus jamais poderia rir de uma história que envolvesse a divindade.”

Esses são alguns dos testes. O cristão sábio encontrará outros.

(texto extraído: O melhor de A.W.Tozer – A importância da auto-análise)

“Aconselho-te que de mim compres ouro refinado pelo fogo para te enriqueceres, vestiduras brancas para te vestires, a fim de que não seja manifesta a vergonha da tua nudez, e colírio para ungires os olhos, a fim de que vejas.” Apocalipse 3: 18

Hoje

abril 21, 2010 0 comentários

“Portanto não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados” Mateus 6:34

Nesses dias de gravidez tenho ouvido de muitas pessoas o conselho de aproveitar ao máximo o “filhote” enquanto ele ainda é pequeno – “Porque o tempo passa muito rápido e, quando menos percebemos, o bebê tornou-se um adulto”. Realmente a vida passa muito mais rápido que percebemos e eu tenho um palpite para isso: é porque sempre estamos olhando para o futuro e não aproveitamos plenamente o presente. Talvez uma prova que sustente a minha tese é o fato de que ninguém ainda me aconselhou a curtir e a aproveitar esse período de gravidez. Geralmente olhamos apenas para frente e perdemos o dia de hoje.

Não nos enganemos com a aparência trivial do assunto: esse é um dos maiores males da nossa sociedade consumista ocidental. A angústia gerada pelo desejo de sempre ter “algo mais” faz-nos perder a alegria, paz e o gozo de desfrutarmos do que temos hoje. A propaganda enganosa e cruel projetada por Satanás e veiculada em todos os meios de comunicação que nos atingem nos induzem a acreditar que “ter” é mais importante do que “ser”. O que nos leva correr atrás do vento o tempo inteiro aceitando usar as pesadas algemas de uma vida escravizada pela promessa de um amanhã melhor. Porém, o hoje, nada mais é do que o amanhã de ontem e, de fato, o amanhã nunca chega.

Tenho a impressão que, todos nós, temos nossos momentos de lucidez quanto a esse fato. A grande tristeza é que geralmente tal momento se dá com clareza em momentos irreversíveis: quando enterramos nossos pais e percebemos que poderíamos ter gasto mais tempo com eles. Diante de um casamento destruído descobrimos que os gestos gentis e amorosos do cotidiano foram esquecidos e agora a pessoa que você tanto amava tornou-se uma estranha. Quando os filhos crescem e se vão deixando não apenas um quarto vazio na casa mas a sensação que poderíamos ter vivido mais plenamente todos esses anos passados. Ou quando, ao adentrarmos pelos portais eternos, descobrirmos que Deus Pai, O Eterno, é uma pessoa absolutamente desconhecida das nossas vidas ficando sempre à margem das nossas decisões, tempo e desejos. Como aconselha o pregador: “Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais dirão: Não tenho neles prazer; antes que se escureçam o sol, a lua e as estrelas do esplendor da tua vida, e tornem a vir as nuvens do aguaceiro; no dia em que tremerem os guardas da boca, por já serem poucos e se escurecerem os teus olhos nas janelas; e os teus lábios, quais portas da rua, se fecharem; no dia em que não puderes falar em alta voz, te levantares à voz das aves, e todas as harmonias, filhas da música, te diminuírem; como também quando temeres o que é alto, e te espantares no caminho, e te embranqueceres, como floresce amendoeira, e o gafanhoto te for um peso e te perecer o apetite; porque vais à casa eterna, e os pranteadores andarão rodeando pela praça; antes que se rompa o fio de prata e se despedace o copo de ouro, e se quebre o cântico junto à fonte, e se desfaça a roda junto ao poço, e o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu. Vaidade de vaidade, diz o pregador: tudo é vaidade.” Eclesiastes 12:1 – 8

O passado já ficou pra trás, não temos como mudá-lo. O futuro não nos pertence porque: “qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida?” MT 6:27. É por isso que o conselho bíblico é para com o dia de Hoje: “Hoje se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações” Hb 3:7 e outra vez: “exortai-vos mutuamente cada dia, durante o tempo que se chama Hoje” Hb 3:13. Consagrar nosso dia à Deus e viver o dia presente plenamente sendo grato a Deus por todas as bênçãos e provações do cotidiano parece ser um bom conselho para que não tenhamos a sensação de que “a vida passou rápido e eu nem vi.” Como o Senhor Jesus nos aconselha não devemos andar preocupados com o amanhã, o dia de Hoje já possui as suas inquietações e alegrias.

Sei que a minha vida nunca mais será a mesma com a chegada do “filhote”. Não vou poder acordar sábado no horário que eu quiser nem jantar no sofá vendo TV. Um ciclo se encerrará e um novo se aproximará com suas sensações, alegrias e sacrifícios. Mas o que eu farei hoje? Vou ficar ansioso com o dia de amanhã e esquecer do presente? De jeito nenhum! Hoje eu vou viver cada momento da gravidez: comprar o enxoval, ler livros sobre educação de filhos, decorar o quarto e curtir o visual “barrigudo” da minha amada. É… terei um dia feliz. Hoje.

“Portanto vede prudentemente como andais, não como néscios, e, sim, como sábios, remindo o tempo porque os dias são maus.” Efésios 5:15,16