Tag Archives

Deus

Nas profundezas de Deus

janeiro 30, 2020 0 comentários

” Porque morreste, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo em Deus” Cl 3:3

O menino estava eufórico. Com quase oito anos de vida seria a primeira vez que veria o mar. Após uma longa viagem ele mal pode esperar. Assim que o pai parou o carro o garoto saiu correndo subindo uma pequena duna. Quando chegou ao topo pode ver aquele marzão que se perdia e se misturava no horizonte. Ficou ouvindo o barulho das ondas , pegou em suas mãos um punhado de areia fina e branca da praia e sentiu em seu rosto a brisa diferente do litoral… Quando olhou ao lado reparou um senhor, já idoso, tirando do seu barco uma rede com peixes. Ele passou toda a sua vida trabalhando por lá, sua família era de pescadores, profissão que herdou de seu pai. Conhecia tudo das correntes marítimas, marés e perigos da região, afinal de contas, dependia do mar para sustentar a sua casa. Usava um chapéu que tentava protegê-lo do sol que por anos castigou a sua pele. Estava pacientemente colocando os peixes que havia pescado dentro de um balde. Aquele garoto, então,  desceu correndo a duna e disse ao pescador: “olá, você sabia que eu conheço o mar?” Aquele senhor olhando nos seus olhos, abriu um largo sorriso e disse: “olá amiguinho, fico feliz em saber disso…pois no meu caso, eu ainda estou o conhecendo.”

 

Essa história me fala muito ao coração quando eu penso no convite Divino em se relacionar comigo. Que tipo de experiência eu tenho tido com o Senhor Deus? Será que é uma experiência limitada por alguns momentos especiais, cultos dominicais e uma lista de mandamentos que eu me esforço em obedecer ou é uma profunda e verdadeira experiência de imersão onde todos os meus sentidos, valores e vontades estão sendo transformadas por uma realidade que me envolve completamente? 

 

Assim como o garotinho da nossa história, será que estou satisfeito com a forma que tenho me consagrado ao Senhor, a forma como eu tenho me dedicado às coisas espirituais? Será que eu tenho conhecido as coisas profundas de Deus? Ou como é próprio da meninice, eu tenho apenas uma pequena noção de toda a realidade eterna, invisível e espiritual que me cerca. Será que saio por aí dizendo às pessoas que conheço a Deus, orgulhoso do meu nível de conhecimento bíblico sem contudo desejar desesperadamente um avivamento urgente e necessário na minha história?

 

Eu e você podemos dizer: “eu conheço a Deus” mas a forma como nos relacionamos com o Senhor Deus pode ser completamente diferente. Para alguns Deus se limita a um estilo de vida, uma filosofia, ritos religiosos ou até mesmo uma agenda social. Para outros, porém, Deus torna-se seu tudo: Ele é o seu ambiente, seu ar, sua comida e bebida,Sua paixão, seu anelo, sua esperança e o seu melhor pensamento.. Seu amigo, conselheiro, mestre, consolador, pastor e pai. Seu centro, refúgio, habitação e descanso. Sendo assim, Deus se torna o que Ele deve ser… Deus. Aquele que se assenta no trono do nosso coração. Aquele por quem existimos e o único a quem adoramos. Aquele que nos dá propósito de vida, estabelece e aponta a direção. Penso que seja esse o encorajamento de Paulo aos Colossenses… ele diz … vocês morreram para uma vida meramente humana, isso não existe mais. Vocês agora estão ligados em Cristo e essa nova vida se dá e se vive em Deus. 

 

Brennan Manning certa vez escreveu: Deus não terá importância nenhuma na sua vida se ele não tiver importância absoluta. E eu concordo com ele. Se Deus não for Deus então Ele não assumirá seu lugar de direito como nosso criador e como o nosso redentor. E da  mesma forma, também não tomaremos posse do nosso privilégio de vivermos como filhos benditos do altíssimo.  

 

” Conheçamos e Prossigamos em conhecer ao Senhor; como a alva sua vinda é certa. E ele descerá sobre nós como a chuva serôdia que rega toda a terra.” Oséias 6: 3 

Eu Sou

janeiro 23, 2020 0 comentários

“Disse Moisés a Deus; Eis que quando eu vier aos filhos de Israel e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós outros; e eles me perguntarem: Qual é o seu nome? Que lhes direi? Disse Deus a Moisés: Eu Sou o que Sou. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: Eu Sou me enviou a vós outros.” Êxodo 3: 13 – 14

 

Como você imagina a Deus? Como ele é? Qual será a sua aparência? Se veio a sua mente a  imagem de um homem musculoso de cabelos grisalhos e longa barba branca é devido a influência de Michelangelo e sua famosa pintura da Capela Sistina que tem influenciado a cultura cristã por séculos. Mas essa nunca foi um desejo de Deus. Na verdade, essa é uma importante preocupação divina ao longo do seu relacionamento com a humanidade. Porque ele sabe do perigo de tentarmos delimitar ou definir àquele que é Eterno e Infinito.

 

Por isso que no velho testamento o Senhor proibiu terminantemente o seu povo de fazer imagens de escultura já sabendo da tentação de imitar o estilo de adoração dos povos pagãos ao seu redor. É por isso também que não temos nenhum registro da aparência física do Senhor Jesus nas quatro biografias bíblicas sobre a sua história. O Senhor Deus sabe que ao defini´-lo nós o diminuímos. 

 

Assim como Moisés, muitas vezes perguntamos para Ele, quem é o Senhor? Seria muito mais fácil para o homem natural a escultura , a definição  que delineia a sua imagem. Mas veja a resposta que Ele deu … diga que o “Eu Sou te enviou”. Isso porque na nossa jornada o Senhor Deus deseja se revelar como a resposta para todas as nossas necessidades. Então quando precisamos de paz , Ele se revela como  o EU Sou a sua Paz – Jeová Shalom. Quando passamos por privações Ele se revela como EU Sou o que te provê – Jeová Jiré. Quando estamos enfermos ele diz Eu Sou quem te cura – Jeová Rafa. Quando você se sentir sozinho Ele diz Eu Sou estou aqui – Jeová Shamá. 

 

Glórias a Deus por isso. Ele é grande e maravilhoso demais para se esgotar dentro dos meus pensamentos. Não tenho dúvida que a eternidade inteira não será suficiente para conhecê-lo. 

 

E, dessa forma,  vivemos de fé em fé … permitindo que o Senhor Deus se revele e se manifeste a cada dia dentro das nossa vida. Tal vida e relação não se explica ou se transfere hereditariamente. Ela é experimentada no nosso espírito quando testemunhamos e vivenciamos que Deus simplesmente É. E assim como o Sol, não podemos olhar diretamente para Ele mas sem a sua luz não podemos enxergar coisa alguma. 

 

Na nossa peregrinação essa revelação precisa aumentar em densidade e significado dentro de nós..  O grande Eu Sou é 3 em 1 e um 1 em mim.

 

“Acaso não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo que está em vós, o qual tendes da parte de Deus e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço.” I Co 6: 19,20

 

Sobre Deus – Parte II

agosto 2, 2010 0 comentários

“Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam. Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito.” I Coríntios 2:9,10

Na última postagem ponderei sobre a minha crença de que existe um verdadeiro e único Deus. A principal característica que determina a existência de tal pessoa é a sua capacidade de auto-existir sem depender de nada ou de ninguém. Ele é aquele que diz “haja luz” antes mesmo de criar as estrelas no céu (Gn1). Para provar ao rei Ezequias a veracidade de Sua promessa Ele muda a rotação do planeta alterando as leis da gravidade e da física que conhecemos (e as que não conhecemos) e retrocede o relógio de Acaz em 10º (II Rs 20:11). Quão grande são as suas obras! De todas, entretanto, a maior de todas obras foi a de entregar o seu Filho como sacrifício remidor e eterno para que o homem pudesse ter acesso irrestrito e legitimo à Sua presença.

Quando o verbo se fez carne e habitou entre os homens (Jo 1:14) uma revelação foi dada a nós: Deus tinha um filho gerado da sua própria substância! Assim como o Pai, o filho também auto-existia “Porque assim como o Pai tem vida em si mesmo, também concedeu ao Filho ter vida em si mesmo” (Jo 5:26). Como um Pai amoroso, Deus concedeu a esse filho todas as coisas: “Tudo foi criado por meio dele e para ele. Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste” (Cl 1:16,17). Mais uma vez Deus desejou dar sinais e provas que Seu Filho não era um homem qualquer, Ele entrou na terra nascendo de uma virgem e saiu ressuscitando da morte. Pense a respeito. Quantas pessoas que andaram por essa terra possuem uma história semelhante a essa? Porém, isso ainda não é o mais impressionante.

Quando o Filho iniciou seu ministério publico Ele passou a declarar que estava na terra obedecendo um chamado do Pai: “Porque eu desci do céu, não para fazer a minha própria vontade, e sim a vontade daquele que me enviou” (Jo 6:39) e “não vim porque eu, de mim mesmo, o quisesse” (Jo 7:28). O Homem-Deus havia nascido com um propósito estarrecedor – reconciliar o homem com Deus Pai através da sua morte. “Desde esse tempo, começou Jesus Cristo a mostrar a seus discípulos que lhe era necessário seguir para Jerusalém e sofrer muitas coisas dos anciãos, dos principais sacerdotes e dos escribas, ser morto e ressuscitado no terceiro dia” (MT 16:21). Que obra inacreditável que esse Deus fez em nosso favor! Porque essa obra ultrapassa a barreira do poder – essa obra toca no mais intimo do Seu amor. O Filho foi a oferta e também o ofertante que apresentou ao Deus Pai o sacrifício perfeito e eterno em favor de todos os homens. “Ora, tudo provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo” (II Co 5:18).

Como andar por essa terra sem conhecer a História das histórias? Jesus Cristo deve ser, para todo o sempre, o motivo dos meus cânticos, da minha alegria, da minha esperança da minha obediência, da minha devoção e do meu amor. Ele é o caminho que nos levou até Deus. Ele é o grande herói da humanidade.

Olhos não podem ver nem ouvidos podem ouvir tamanha obra. Mas aprouve a Deus enviar o Espírito Santo para iluminar os nossos espíritos e abrir os nossos olhos da fé. Apenas o Espírito de Deus pode nos revelar àquilo que é espiritual. Muitos andam por aí buscando “novas revelações” ou “mistérios” que apenas “iniciados” ou “sensitivos” conseguem penetrar. Mas haverá maior mistério do que este? Será que existe um outro tema mais importante em que o Espírito Santo se ocupe em nos revelar? Não desperdice o seu tempo com outras coisas. Quem vê o Filho vê a Deus.

Jesus Cristo é a mensagem do Espírito Santo, a glória do Pai e a salvação dos homens.

“Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente.” ” I Coríntios 2:12

A invasão

julho 27, 2010 0 comentários

“Rendei graças ao Senhor, porque ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre.” Salmos 136:1

Meus pensamentos insistem em meditar Naquele que sempre existiu. Mas assim como é mencionado em Jó que, por mais que coloquemos toda a nossa atenção, esforço e tempo em conhecer mais a Deus, a única conclusão que podemos tirar é: “eis que isto são apenas as orlas dos seus caminhos! Que leve sussurro temos ouvido dele!” (26:14 ). Falar sobre Deus, na esfera da razão, é tão raso e tão inatingível que seria melhor gastarmos o nosso tempo ouvindo uma criança de cinco anos comentar sobre o que ela pensa a respeito de física nuclear, nanotecnologia ou o projeto genoma.

Uma das barreiras mentais que temos é pensar que existem pedidos mais fáceis ou mais difíceis para Deus. Nós como criaturas limitadas não conseguimos avaliar nada de outro modo. Intuímos que, pedir para um padeiro fazer um pão ou uma professora de matemática resolver uma equação de primeiro grau, sejam pedidos fáceis de se realizarem. Pedirmos que alguém salve um paciente com câncer já seria considerado um pedido difícil por ser uma situação que extrapola a vontade humana. Porém, pedir para que um homem bata os braços e saia voando como um pássaro será considerado um pedido impossível tendo em vista as leis da física que recaem sobre nós. Mas com Deus não é assim. Não há limites ou impossíveis para Ele. Nada pode extrapolar o seu domínio. Não existe para Ele alguma coisa que seja mais “difícil” ou mais “fácil”. Criar uma galáxia, parar o planeta terra, andar sobre as águas ou nos dar o pão de cada dia estão absolutamente na mesma esfera de possibilidades para Deus.

 

Os relatos da Bíblia nos revelam um ser acima de toda lei da matéria. Andar sobre as águas, transformar água em vinho ou multiplicar peixes são fatos que não podem ser explicados fisicamente. Pensando nesses aspectos, o Deus da Bíblia é exatamente como um Deus deveria ser: absolutamente Onipotente, Onipresente e Onisciente. Ele é o único ser auto-suficiente de maneira que não depende de ninguém ou de nada para existir.

 

Creio que existe esse Deus. E também acredito que é do Seu interesse revelar-se às suas criaturas para que elas O conheçam e O sirvam. Porém, como Ele é Espírito (João 4:24) Ele se revela ao homem no espírito. De maneira que aqueles que tiveram seus espíritos iluminados e viram a Deus toda a sua vida é transformada. É como dizem: “Para quem não crê em Deus nenhuma explicação é o suficiente. Para quem crê em Deus nenhuma explicação é necessária.”

 

Se o primeiro passo é crer que existe um único e soberano Deus, o próximo passo é conhecer seus pensamentos e suas leis morais para suas criaturas. Descobrimos então que Ele “habita em uma luz inacessível a quem homem algum jamais viu, nem é capaz de ver (I Tm 6:16)”. Seus padrões são tão elevados e sua santidade é tão inalcançável que criatura alguma poderia O satisfazer. O que fazer então? Qual é a resposta do homem para agradar a um Deus que é tão grande em poder quanto grande em santidade?

 

Já não é necessário o homem inventar respostas. O próprio Deus providenciou um grande plano de resgate para a raça humana. Há 2000 anos atrás Ele invadiu esse planeta como um homem e marcou para sempre nossa história. Seus atos heróicos serão para sempre celebrados por aqueles que conheceram não apenas a Sua grandeza mas também a Sua salvação.

“Porque ainda que há também alguns que se chamem de deuses, quer no céu ou sobre a terra, como há muitos deuses e senhores, todavia para nós há um só Deus e Pai de quem são todas as cousas e para quem existimos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as cousas, e nós também por ele.” I Coríntios 8:5,6