Browsing Category

Santidade

Direitos e Deveres

março 19, 2020 0 comentários

” Chamando–os, ordenaram-lhes que absolutamente não falassem nem ensinassem em o nome de Jesus. Mas Pedro e João lhes responderam: Julgai se é justo diante de Deus ouvir-vos antes a vós outros do que a Deus.” At 4: 18 – 19

 

Em muitas situações dentro do nosso convívio entre os irmãos percebo uma certa confusão no entendimento bíblico sobre o nosso procedimento diante de várias situações. Quando e como devemos aplicar a disciplina corporativa? Será que isso é falta de amor? Não raro alguém lê o texto de Filipenses 2:5 onde se diz que devemos ser como o Senhor Jesus que abriu mão dos seus direitos e se esvaziou assumindo a forma de um servo… ou quando Paulo diz aos coríntios: “por que não sofreis antes a injustiça? por que não sofreis antes o dano? Mas vós mesmos fazeis a injustiça e fazeis o dano, e isto aos próprios irmãos.” I Co 6: 7,8. Mas no capítulo anterior do mesmo livro de Coríntios Paulo ordena – em nome do Senhor Jesus – entregar uma pessoa a Satanás e adverte dizendo: “expulsai do vosso meio o malfeitor” 5: 13.  Essa aparente contradição também pode ser vista na  história do Senhor Jesus … como entender a violenta reação dele no templo expulsando os comerciantes de lá? Ou quando ele é duro na condenação daqueles que desprezavam a salvação de Deus. Repare no testemunho que os herodianos deram dele em Mt 22: 16 “Mestre, sabemos que és verdadeiro e que ensinas o caminho de Deus, de acordo com a verdade, sem te importares com quem quer que seja“. Será que o Senhor era político, fazia vista grossa ou bajulador de pessoas? Qual é o equilíbrio ou como conciliar atitudes aparentemente antagônicas? 

 

Me parece que a chave é a seguinte: tudo o que envolve os meus direitos pessoais, meu nome, honra ou posição eu, voluntariamente e por amor, abro mão. Mas tudo o que diz respeito aos direitos de Deus eu os sustento. Por que? Porque não são meus direitos mas sim de Deus! O Senhor Jesus abriu mão dos seus direitos  porém ele jamais abriu mão dos direitos e do testemunho do seu Pai. Essa é a resposta que lemos dos apóstolos quando as autoridades ordenaram que eles parassem de pregar a Cristo. Pedro respondeu: “antes importa obedecer a Deus do que aos homens” At 5: 29. É nosso dever não abrir mão dos direitos de Deus.

 

Infelizmente, muitas vezes temos invertido essas premissas. Abrimos mão dos direitos de Deus, somos coniventes com o pecado público, sustentado e não confesso em nome da unidade. Relativizarmos nossa obediência aos mandamentos bíblicos. Ofendemos a santidade e o testemunho de Deus para não ofendermos aos homens. Mas, paradoxalmente, quando alguém pisa no nosso pé, quando entendemos que fomos ofendidos, então nos separamos, dividimos e declaramos guerra contra o nosso próximo.

Essas duas reações são dois lados da mesma moeda de uma mentalidade carnal e humana. E, qualquer ambiente em que os direitos de Deus são desrespeitados enquanto os direitos dos homens são mantidos uma confusão espiritual será rapidamente estabelecida. 

 

O Senhor Jesus já nos advertiu em Lc 6: 26 : “ai de vós quando todos vos louvarem! porque assim procederam seus pais com os falsos profetas”. Vida cristã exige de nós posicionamento claro em favor dos interesses de Deus e isso muitas vezes nos levará a uma inevitável separação como o Senhor também profetizou dizendo: ” não penseis que vim trazer paz à terra, não vim trazer paz, mas espada. Pois vim causar divisão entre o homem e seu pai; entre filhos e sua mãe e entre a nora e sua sogra.” Mt 10: 34 .

 

A minha oração é que o Senhor me dê do Seu espírito para que, com toda a mansidão e humildade, eu me esvazie de todos os meus direitos mas que Ele também me dê da sua firmeza e poder para que eu jamais venha abrir mão dos direitos de Deus. 

 

“Porventura procuro eu agora o favor dos homens ou o de Deus? ou procuro agradar a homens? Se agradasse ainda a homens, não seria servo de Cristo.” Gl 1: 10

 

Folhas de figueira

março 5, 2020 0 comentários

Cedo de manhã, ao voltar para a cidade, teve fome; e, vendo uma figueira à beira do caminho, aproximou-se dela; e, não tendo achado senão folhas, disse-lhe: Nunca mais nasça fruto de ti! E a figueira secou imediatamente. Vendo isto os discípulos, admiraram-se e exclamaram: Como secou depressa a figueira! ” Mt 21: 18 – 20 

Essa é uma daquelas passagens duras que nos parecem não fazer conexão com a vida e a obra de nosso Senhor Jesus. Por que o Senhor amaldiçoou aquela figueira à beira da estrada? Será que ele era apaixonado por figos ou estava tão desesperado de fome? Será que Ele teve um ataque de chilique após ficar frustrado por não encontrar naquela árvore nenhum fruto mas apenas folhas?

De algumas aplicações que podemos aprender. Penso que existe uma lição MUITO importante que o Espírito Santo de Deus quer nos ensinar. Quando lemos sobre folhas de figueira nos lembramos de uma outra passagem da bíblia. Está  lá no início da história da humanidade … quando Adão e Eva transgrediram as ordenanças de Deus. Em Gn 3: 7 – Abriram-se, então, os olhos de ambos; e, percebendo que estavam nus, coseram folhas de figueira e fizeram cintas para si.”  Um pouco mais pra frente, ficamos sabendo que  essa tentativa humana de esconder a sua nudez e se apresentar diante de Deus não foi aceita por Ele … no versículo 21 se diz: ” “Fez o Senhor Deus vestimenta de peles para Adão e sua mulher e os vestiu.” 

Jamais um homem, imperfeito, pecador e terreno poderá produzir, pelo seu próprio esforço, qualquer obra que consiga se justificar diante de um Deus perfeito, justo e eterno.  E essa sentença diferencia a espiritualidade cristã de qualquer outra proposta de relacionamento com Deus. Enquanto outras religiões colocam o homem como o protagonista da sua própria salvação,  o evangelho diz que o homem é incapaz de se salvar não importa quais ou quantas obras ele o faça. Essa situação também serviu como um sinal contra os judeus da época: um povo acostumado com cerimônias, festas, dias, cultos e sacrifícios …. porém nada disso poderia satisfazer a justiça de Deus. São apenas folhas de figueira que não podem apresentar o homem de forma digna diante daquele que é santo santo santo. O Senhor Jesus, como Messias, deixou isso claro ao profetizar que uma vida sem o fruto produzido pelo Espírito secará até a morte.

Para um religioso que está tentando, com muito esforço e suor, tampar a sua vergonha com obras e trabalho humano essa é uma  notícia que o perturba e pode até mesmo o entristecer. Mas para pecadores miseráveis e inúteis como eu essa é uma linda e perfeita boa nova de salvação e esperança. 

A minha justiça e dignidade não é baseada nas obras que eu realizo mas na obra que Deus realizou  por mim. 

” Regozijar-me-ei muito no Senhor, a minha alma se alegra no meu Deus; porque me cobriu de vestes de salvação e me envolveu com o manto de justiça” Isaías 61:10 

 

Nas profundezas de Deus

janeiro 30, 2020 0 comentários

” Porque morreste, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo em Deus” Cl 3:3

O menino estava eufórico. Com quase oito anos de vida seria a primeira vez que veria o mar. Após uma longa viagem ele mal pode esperar. Assim que o pai parou o carro o garoto saiu correndo subindo uma pequena duna. Quando chegou ao topo pode ver aquele marzão que se perdia e se misturava no horizonte. Ficou ouvindo o barulho das ondas , pegou em suas mãos um punhado de areia fina e branca da praia e sentiu em seu rosto a brisa diferente do litoral… Quando olhou ao lado reparou um senhor, já idoso, tirando do seu barco uma rede com peixes. Ele passou toda a sua vida trabalhando por lá, sua família era de pescadores, profissão que herdou de seu pai. Conhecia tudo das correntes marítimas, marés e perigos da região, afinal de contas, dependia do mar para sustentar a sua casa. Usava um chapéu que tentava protegê-lo do sol que por anos castigou a sua pele. Estava pacientemente colocando os peixes que havia pescado dentro de um balde. Aquele garoto, então,  desceu correndo a duna e disse ao pescador: “olá, você sabia que eu conheço o mar?” Aquele senhor olhando nos seus olhos, abriu um largo sorriso e disse: “olá amiguinho, fico feliz em saber disso…pois no meu caso, eu ainda estou o conhecendo.”

 

Essa história me fala muito ao coração quando eu penso no convite Divino em se relacionar comigo. Que tipo de experiência eu tenho tido com o Senhor Deus? Será que é uma experiência limitada por alguns momentos especiais, cultos dominicais e uma lista de mandamentos que eu me esforço em obedecer ou é uma profunda e verdadeira experiência de imersão onde todos os meus sentidos, valores e vontades estão sendo transformadas por uma realidade que me envolve completamente? 

 

Assim como o garotinho da nossa história, será que estou satisfeito com a forma que tenho me consagrado ao Senhor, a forma como eu tenho me dedicado às coisas espirituais? Será que eu tenho conhecido as coisas profundas de Deus? Ou como é próprio da meninice, eu tenho apenas uma pequena noção de toda a realidade eterna, invisível e espiritual que me cerca. Será que saio por aí dizendo às pessoas que conheço a Deus, orgulhoso do meu nível de conhecimento bíblico sem contudo desejar desesperadamente um avivamento urgente e necessário na minha história?

 

Eu e você podemos dizer: “eu conheço a Deus” mas a forma como nos relacionamos com o Senhor Deus pode ser completamente diferente. Para alguns Deus se limita a um estilo de vida, uma filosofia, ritos religiosos ou até mesmo uma agenda social. Para outros, porém, Deus torna-se seu tudo: Ele é o seu ambiente, seu ar, sua comida e bebida,Sua paixão, seu anelo, sua esperança e o seu melhor pensamento.. Seu amigo, conselheiro, mestre, consolador, pastor e pai. Seu centro, refúgio, habitação e descanso. Sendo assim, Deus se torna o que Ele deve ser… Deus. Aquele que se assenta no trono do nosso coração. Aquele por quem existimos e o único a quem adoramos. Aquele que nos dá propósito de vida, estabelece e aponta a direção. Penso que seja esse o encorajamento de Paulo aos Colossenses… ele diz … vocês morreram para uma vida meramente humana, isso não existe mais. Vocês agora estão ligados em Cristo e essa nova vida se dá e se vive em Deus. 

 

Brennan Manning certa vez escreveu: Deus não terá importância nenhuma na sua vida se ele não tiver importância absoluta. E eu concordo com ele. Se Deus não for Deus então Ele não assumirá seu lugar de direito como nosso criador e como o nosso redentor. E da  mesma forma, também não tomaremos posse do nosso privilégio de vivermos como filhos benditos do altíssimo.  

 

” Conheçamos e Prossigamos em conhecer ao Senhor; como a alva sua vinda é certa. E ele descerá sobre nós como a chuva serôdia que rega toda a terra.” Oséias 6: 3 

Agenda

janeiro 2, 2020 0 comentários

‘Quem guiou o Espírito do Senhor? ou, como o seu conselheiro o ensinou? Com quem tomou Ele conselho, para que lhe desse compreensão? Quem o instruiu na vereda do juízo e lhe ensinou sabedoria e lhe mostrou o caminho do entendimento?” Isaías 40: 13,14

 

Conta-se a história de que, durante a guerra de secessão norte-americana, quando um General trouxe más notícias sobre a frente de batalha ao então presidente Abraham Lincoln, esse general teria dito: “espero que Deus esteja no nosso lado” ao que Lincoln respondeu: ” desejo errado, eu espero que nós estejamos ao lado de Deus”. 

 

Isso pode parecer apenas um jogo de palavras .. mas desejar que Deus esteja ao nosso lado abençoando nossas intenções, desejos e programas é completamente diferente de desejarmos estar ao lado de Deus entendendo as Sua intenções, os Seus desejos e o Seu programa para nós. 

 

Olhando para o meu estilo de vida, posso constatar que,  muitas vezes, em muitas situações, eu nem sequer pergunto ao Senhor a sua opinião sobre um assunto. Eu simplesmente vou fazendo, andando e decidindo por minha conta. Claro que, como bom cristão que sou, vou orando e pedindo para que Deus corra atrás de mim garantindo que tudo me vá bem.  

 

Mas, pare para pensar um pouco … veja se isso não é uma completa loucura.  Será que O Eterno àquele que nunca foi aconselhado por ninguém, não tenha uma direção, opinião ou desejo para qualquer situação da minha vida?  Será que existe alguma situação que se você pedir direção ao Senhor Ele dirá: “nossa que pergunta difícil, eu não sei o que te aconselhar, faça o que você achar melhor, com certeza você é mais sábio e entendido do que Eu nessa área”.  

 

Estamos começando mais um ano, nossa agenda de 2020 está novinha, com as folhas ainda em branco para serem preenchidas pelo tempo e dias que virão sobre nós.  Eu não sei o que me espera em 2020 não consigo nem garantir que chegarei ao final do ano escrevendo minha história na página do dia 31/12… Mas uma coisa eu sei: o Senhor Deus tem a sua agenda para mim. Ele deseja escrever a Sua história em cada página do meu ano. Quer ser o meu conselheiro, meu protetor o meu guia e consolador. Ele deseja crescer em importância e presença em todos os aspectos da minha existência. 

 

Sendo assim… a minha oração para 2020 é que eu possa ter um coração ensinável, olhos que vêem e ouvidos que escutam. Que eu tenha a coragem de perguntar ao meu Senhor qual é a agenda Dele para mim e que eu tenha a firmeza necessária para jogar a minha agenda fora e me submeter, com alegria e submissão, à Sua perfeita vontade.

 

” E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” Rm 12:2

 

Maturidade

dezembro 5, 2019 0 comentários

“Pois com efeito, quando devíeis ser mestres,atendendo ao tempo decorrido,tendes necessidade de alguém que vos ensine de novo quais são os princípios elementares dos oráculos de Deus, assim vos tornastes como necessitados de leite, e não de alimento sólido. Ora, todo aquele que se alimenta de leite, é inexperiente na palavra da justiça, porque é criança. Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm a as suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem mas também o mal. “ Hb 5:12 – 14

 

Recentemente, na empresa que trabalho teve o dia da saúde … então todos nós fizemos alguns exames. Um deles é o exame chamado de bioimpedância que diz, baseado em algumas análises,  qual é a idade do corpo da pesssoa.O resultado não me surpreendeu, o meu corpo está 8 anos mais velho do que a minha idade biológica, ou seja, eu não estou cuidando do meu corpo de forma adequada e ele está sofrendo os efeitos do meu sedentarismo e maus hábitos.

 

Claro que fiquei pensando na aplicação dessa situação para a minha idade espiritual. Isso porque a minha idade espiritual não necessariamente acompanha a minha idade de conversão. Então eu posso ter 30 anos de conversão mas ter 5 anos de idade espiritual.

 

Como o Senhor disse a Nicodemos, um dia nascemos de novo para Deus, e nos percebemos como crianças recém nascidas desejosas e necessitadas do genuíno leite espiritual (I Pe 2:1). Descobrimos um mundo novo, passamos a entender o que está por detrás das coisas, ao avançar no entendimento ficamos sabendo que, de fato, são os agentes da dimensão espiritual que dirigem e governam a dimensão física de matéria. Então começamos aprender a orar. Exercitamos a nossa fé em conhecer cada vez mais ao próprio Deus, o pai de nosso Senhor Jesus Cristo, por meio do Espírito Santo que Ele mesmo enviou para habitar dentro de nós. E, vamos crescendo e ganhando entendimento das coisas espirituais e como Hebreus testemunha de Moises, permanecemos firmes como quem vê aquele que é invisível (hb 11:27).

 

O que o escritor de hebreus define como um sinal de maturidade está justamente no fato de que um adulto tem a capacidade de discernir as questões de maneira espiritual. Isso não cai do céu ou vem automaticamente, essa capacidade de enxergar as situações pela perspectiva divina cresce e aumenta em nós pela prática, ao exercitarmos a nossa faculdade para discernir o bem e o mal em todo o momento.

 

O que caracteriza a meninice é o materialismo. É olharmos as coisas na perspectiva terrena e humana. Esquecemos que a nossa herança está nos céus (I Pe 1:4) e investimos a nossa energia em acumular tesouros na terra. Esquecemos que somos peregrinos e aguardamos a pátria celestial (Fp 3:20) e fincamos nossas raízes neste mundo. Esquecemos que o Senhor já nos tem abençoado com toda sorte de bençãos espirituais nas regiões celestiais (Ef 1:3) e não tomamos posse porque estamos focados nas bençãos materiais. Esquecemos que a nossa luta não é contra sangue e carne  mas sim contra principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes (Ef 6:12) e passamos a brigar e lutar com a esposa, o filho e os irmãos. É o que Paulo diz na lata aos corintios: “Eu porém irmãos não vos pude falar como a espirituais; e sim como a carnais, como a crianças em Cristo. Leite vos dei a beber, não vos dei alimento sólido; porque ainda não podíeis suportá-lo. Nem ainda agora o podeis, porque ainda sois carnais.””I Co 3:1 – 2

 

E assim como acontece no mundo físico, uma criança espiritual não tem tamanho nem força para lutar as guerras do Senhor. A sua carnalidade a leva sempre a correr atrás de brinquedinhos espirituais e do leitinho para o dia mas ela não tem a capacidade de absorver a energia proveniente do alimento sólido que a fortalece para a batalha. 

 

Possa o Senhor renovar a nossa mente e nos livrar da paralisia do crescimento espiritual. Para que quando estivermos diante da presença Dele venhamos a nos apresentar como soldados que combateram o bom combate.

 

“Até que cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, a perfeita varonilidade à medida da estatura da plenitude de Cristo, para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para o outro””Ef 4:13,14

 

Latrina

novembro 28, 2019 0 comentários

“”Penetraram na casa de Baal, e as queimaram. Também quebraram a própria coluna de Baal, e derrubaram a casa de Baal, e a transformaram em latrinas até o dia de hoje.”  II Rs 10:26,27

Lendo a história de Israel podemos perceber os esforços do Senhor Jeová em ensinar, repreender e corrigir o seu povo. Muitas vezes Ele usava de coisas práticas da vida para testemunhar das coisas espirituais. Por ex: O Senhor Mandou Jeremias andar com um cinto de linho apodrecido para revelar o que aconteceria com Judá. Por três anos Isaias andou despido e descalço por sinal contra o Egito ou quando o Senhor ordenou Oseias a se casar com uma prostituta e ter filhos de prostituição para, assim,  profetizar acerca do adultério espiritual de Israel.

 

Da mesma forma, acho muito poderosa e radical a mensagem que o Senhor Deus está tentando nos ensinar com o que aconteceu com o templo de Baal. Conhecemos a história, como o povo de Israel estava constantemente flertando com a idolatria ao cultuar e servir a um outro senhor – que é o significado da palavra Baal (só que esse Senhor é com s minúsculo). Após uma restauração promovida por Jeú, a casa de Baal foi transformada em banheiro público. Isso mesmo, essa casa que para muitos era sagrada, foi transformada em um lugar onde os homens despejam as suas excreções. 

 

E o que faz nosso sistema excretor? Ele joga fora tudo aquilo que ingerimos mas que o nosso corpo não absorve ou aproveita. Tudo o que tem valor para a vida o corpo absorve mas aquilo que não presta nosso corpo joga fora. É como se Deus tentasse nos ensinar dizendo: tudo o que você fizer que não é para mim ou por meio de mim será como o lixo. Um total desperdício.

 

Paulo entendeu essa verdade. Assim ele expressa seu sentimento aos filipenses quando diz: “”por amor de Cristo,perdeu todas as cousas e as considerava como refugo (ou em outras versões – esterco), para ganhar a Cristo.””Fp 3:8  Que lindo testemunho do apóstolo! Cristo é o meu grande amor. Ele é o meu tesouro todas as outras coisas, comparadas a Ele, são como lixo – não tem proveito. E esse é o genuíno testemunho do Cristão… não tem nada haver com uma religião, não é um conjunto de normas e restrições que eu me submeto. Mas tem haver com uma pessoa, que conquistou meu amor de tal maneira, que todas as outras coisas ficaram ridiculamente menores. A religião me diz o que eu não posso fazer. A vida, porém, me mostra que nada dessas coisas tem de fato valor.  O legalismo me proíbe de um monte de coisas e de desejos, o amor me liberta de todas elas.

 

Eu tento perceber o que o Espírito Santo quer me ensinar, apesar do meu coração obstinado, eu preciso meditar nessa verdade: Cristo é tudo e tudo que é fora dele nada é. Me envergonho em perceber que ainda tento relativizar essa realidade. E muitas vezes coloco o que é esterco como alguma coisa de valor.

 

A saída para essa situação é investir tempo em conhecer cada vez mais ao Senhor Jesus – se Ele crescer em importância e amor dentro da minha história, todas as outras coisas, se tornarão insignificantes e não encontrarão em mim, nenhum sinal de desejo.

“Quem mais tenho eu no céu? Não há outro em quem eu me compraza na terra.” Sl 73:25

 

Entropia

novembro 22, 2019 0 comentários

“”Não desanimamos, pelo contrário, mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, contudo o nosso homem interior se renova de dia em dia. Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação.””II Co 4:16,17

Vivemos em um grande sistema que está em profunda desordem. Podemos observar essa desordem nas coisas pequenas da vida: por ex: uma fruta tem seu ciclo de maturação e depois que arrancamos ela da árvore, rapidamente apodrece. O nosso corpo também está em constante desordem e degradação. É por isso que comemos, bebemos água e dormimos, para ajustar e regular o organismo, caso contrário o sistema entrará em falência. E ainda que você tenha o máximo de cuidado com o seu corpo, em algum momento, inevitavelmente,  ele entrará em colapso e uma desordem no seu organismo gerará a sua morte. Infelizmente também descobrimos que existe uma desordem no sistema social. Pessoas enlouquecem, se perdem para as drogas, prazeres e dinheiro. Como consequência dessas coisas, estamos cercados por sociopatas, estupradores, ladrões. Eles podem roubar, machucar e matar não apenas a nós mas àqueles que nós amamos. Sofremos diretamente com a desordem emocional dos outros e isso também gera desordens emocionais dentro de nós. 

O grau de desordem em um sistema é conhecido na literatura como Entropia. As empresas, relacionamentos, a saúde …todas as coisas tem um certo grau de entropia … de maneira de que, se nada for feito, tudo tende a desordem. 

Paulo percebeu essa desordem operando sobre ele quando ele diz que o meu homem exterior está em corrupção, em outra passagem também ao coríntios Paulo diz que dia a dia ele está morrendo … Isso porque ainda estamos inseridos em um mundo que jaz no maligno. A ideia de que problemas e desordens não sobrevém sobre os filhos de Deus é um pensamento que, mais cedo ou mais tarde, será confrontado com a entropia da vida. Mas, o que a Bíblia nos diz, é que apesar de toda a desordem externa, o Senhor Deus é poderoso e deseja produzir uma perfeita ordem dentro de nós. Paulo continua o texto dizendo: se por fora eu estou em corrupção por dentro tenho experimentado um renovo todos os dias. Se por fora existe desordem no meu espírito Deus tem ordenado todas as coisas. 

Pensando nisso me recordo da história de um missionário que estava viajando de navio quando ouviu o capitão do barco dizer: “estamos passando por um espesso nevoeiro em uma região com muitas rochas … se alguém aqui acredita em Deus, é um bom momento de pedir para que ele nos salve””. Então aquele missionário ajoelhou-se e pediu com sinceridade: “”Senhor tire as pedras do nosso caminho”. A viagem transcorreu bem eles chegaram ao destino sem nenhum problema. Quando ele voltava dessa viagem ao passar por aquela região novamente – agora em um lindo dia de sol e sem nenhuma neblina. Ele se lembrou da experiência passada e orou: “”Deus, muito obrigado porque naquele dia o Senhor tirou as pedras do caminho” no que ele entendeu o Senhor falando ao seu coração dizendo: “”Não meu filho, eu não tirei as pedras do caminho, eu elevei o nível das águas de maneira que vocês passaram por cima de todas as pedras.””

Eu não sei quais são os problemas, dores e desordens que ainda terei que passar durante a minha peregrinação nesta terra.  Eu não sei quais pedras estarão no meu caminho. Mas uma coisa eu tenho absoluta certeza, o Senhor Deus que também é o meu pai, estará sempre comigo. E Ele tem Graça superabundante para elevar o nível da minha fé e tem poder para, em qualquer situação, ordenar ordem , vida e paz para o meu homem interior.

“E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus””Fp 4:7

 

Escolhas

outubro 17, 2019 0 comentários

“apanhai-me as raposas, são as raposinhas que devastam os vinhedos” Ct 2: 15

Certa vez vi uma dessas matérias que nos parecem inacreditáveis (depois pesquise na internet e verá o artigo): um canadense conseguiu trocar um clipe de papel por uma casa. Logicamente, ninguém trocaria uma casa por um simples clipe, o que esse esperto canadense fez foi realizar trocas, onde, no final, conseguiu chegar à casa. Então o clipe de papel foi trocado por uma caneta com forma de peixe. A caneta foi trocada por uma maçaneta de porta com desenho especial, a maçaneta por um fogareiro de acampamento e o fogareiro por um gerador. Dessa forma, ele foi trocando e trocando até chegar à uma casa na cidade de Kipling, Canadá.

Esse é um exemplo positivo de como uma pessoa, através das suas escolhas seguiu por um caminho de prosperidade. O problema é quando acontece o contrário conosco. Temos uma casa e à medida que fazemos nossas escolhas e tomamos as nossas decisões podemos terminar a nossa vida com apenas um clipe de papel nas mãos.

Eu fico pensando em Ló, a bíblia o chama de homem justo, porém teve um final de história muito triste e miserável. Mas esse processo não foi de um dia para o outro … “ló foi armando suas tendas até Sodoma e passou a conviver com pessoas más e grandes pecadores contra o Senhor” (Gn 13: 12-13). O inimigo tem suas estratégias e planos … ele não nos oferece alguma coisa que nos assuste e nos  afugenta. Ele te oferece coisas que estão dentro das nossas possibilidades e uma vez que ele fincou uma legalidade maligna nas nossas emoções ele começa o trabalho de deformar e corromper cada vez mais nossa percepção e valores de maneira que não percebemos as trocas que fazemos. Ele vai oferecendo pequenas situações onde você fará pequenas escolhas que poderão destruir a sua história. Apanhem as raposinhas porque são elas que devastam o vinhedo. 

Muitas vezes, os resultados das nossas escolhas não são imediatas. Assim como o filho pródigo, podemos passar por um período de falsa paz e alegria, até darmos conta de que estamos muito longe da casa do Pai nos alimentando do resto da comida dos porcos (Lc 15:14-16). E isso deveria ser um grande alarme para nós: porque as escolhas do presente  determinarão o que seremos no futuro.

Você é livre para escolher qual semente irá plantar mas lembre-se você será obrigado a colher o que semeou. Essa é a lei da semeadura que Deus estabeleceu e nenhum de nós consegue escapar: semeamos pensamentos colhemos comportamento; semeamos comportamento e colhemos hábitos, semeamos hábitos e colhemos caráter, semeamos caráter e, então  colheremos o nosso destino.

“De Deus não se zomba porque aquilo que o homem plantar isso também ceifará” Gálatas 6: 7

Morto-vivo

agosto 1, 2019 0 comentários

“Conheço as tuas obras, tens nome de que vives mas estás morto” AP 3: 1

No início deste ano, foi muito comentado e noticiado nos jornais aqui de BH a história de uma jovem de 17 anos que, após uma briga, matou sua avó, enrolou-a em um edredom vedou as frestas das janelas e da porta do quarto da avó e simplesmente a deixou lá. Quase 3 meses depois, um outro parente daquela senhora descobriu o ocorrido. No meu
caso, essa notícia terrível ganhou mais relevância porque isso aconteceu dentro do condomínio em que eu moro, há menos de 100 metros da minha casa.

Como era de se esperar, apesar de todas as tentativas de vedar o ambiente, um cheiro desagradável começou a ser sentido. Os vizinhos reclamavam com o sindico acreditando que poderia ser algum problema no esgoto ou algum lixo esquecido em alguma casa vazia…

Interessante que foram os vivos que perceberam o cheiro da morte. São os vivos que conseguem discernir e detectar as coisas podres e inadequadas. Isso me levou a fazer essa simples, porem importante reflexão: tenho percebido as coisas mortas da carne e do mundo? Caso essas coisas não me ofendam mais, caso eu esteja como que anestesiado
pela coisas mortas desse mundo é bem provável que eu esteja morto também. Talvez você se assuste com essa afirmação , achando ela um tanto radical. Mas vejamos alguns exemplos: No texto que lemos no inicio deste pensamento, o Senhor Jesus afirma claramente que a igreja em Sardes tinha um nome, um status de vida mas na verdade ela estava morta. Paulo diz das viúvas que, ao se entregarem aos prazeres, mesmo vivas estão mortas. Ele também encoraja aos ricos deste século a tomarem posse da verdadeira vida. Mesmo conselho que ele dá a Timoteo dizendo: “combate o bom combate da fé e toma posse da vida eterna para a qual também foste chamado”. Quando o filho pródigo volta para casa o seu pai afirma … “este filho estava morto e reviveu”.

Pode até ser que eu e você não pratiquemos os pecados listados por Paulo em Romanos capitulo 1 – coisas do dia a dia deste mundo como: malicia, avareza, difamação, insolência, desobediência aos pais ou soberba. Porém, o que deveria chamar nossa atenção, é que Paulo vai mais além, ele diz que existe uma sentença de morte não só para os que fazem
mas também os que aprovam os que assim procedem”. Cuidado, são os vivos que acham insuportável o cheiro da morte proveniente do pecado.

Esse talvez seja um importante teste para avaliarmos a saúde da nossa fé. O quanto as coisas desta geração geram em nós náuseas por causa de tanta injustiça, violência, promiscuidade, rebelião e devassidão. Qual é a medida ou qual a é intensidade do MARANATA VEM SENHOR JESUS dentro dos nossos corações?O quanto , de verdade, anelamos e oramos para que o nome do nosso Pai Celeste seja santificado e o Seu reino se manifeste entre os filhos dos homens?

É tempo de despertarmos do sono. De quebrarmos toda aliança com o mundo. De odiarmos tudo o que o Senhor odeia. De termos em mente que a amizade do mundo é inimiga de Deus. E assim, como novas criaturas que somos em Cristo testemunharmos das coisas santas do Reino de Deus.

“Desperta ó tu que dormes, levanta-te dentre os mortos e Cristo te iluminará. Portanto vede prudentemente como andais, não como néscios e, sim, como sábios, remindo o tempo porque os dias são maus. Por esta razão não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor” Ef 5: 14 – 17

 

Respiração

julho 25, 2019 0 comentários

“ assim se alguém está em Cristo é nova criatura”” II Co 5:17

O cristão é uma pessoa que precisa lidar com dimensões diferentes de vida. Nenhum
peregrino, por mais consagrado e santificado que seja, vive de comer luz. Precisamos do
pão de cada dia e, ao procurá-lo descobrimos que o conseguiremos mediante o suor do
rosto.

Temos que trabalhar, cortar cabelo, tocar fralda suja do neném ou alguns de nós precisam
trocar as fraldas do seus pais. Precisamos pagar boletos, fazer empréstimos, negociar
dividas e cuidar da saúde. E mesmo fazendo todas essas coisas podemos dizer como
Paulo em II Coríntios 10: 3 “porque embora andando na carne não militamos segundo a
carne”. Tentamos em todo o tempo ver o invisível, discernir as coisas pelo ângulo do Reino
de Deus. Olhamos para o céu e anelamos por coisas espirituais. Somos servos do Senhor
Jesus, aquele a quem não havendo visto com nossos olhos físicos, amamos.

Philip Yancey , em um dos seus livros, faz uma interessante ilustração sobre a vida do
cristão. Ele diz que somos como as baleias ou os golfinhos. Embora estejam cercados pelo
meio aquático nadando, comendo e vivendo dentro dágua eles não são iguais aos peixes.
Isso porque, como mamíferos que são, o sistema respiratório deles é completamente
diferente. Enquanto os peixes conseguem retirar o oxigênio que se encontra dissolvido na
água os mamíferos só conseguem retirar o oxigênio da atmosfera. De maneira que, em
algum momento a baleia ou o golfinho necessitam, subir até a superfície para respirar.

Em Efésios 2:12 diz que outrora estávamos sem Cristo, estranhos às alianças da promessa
não tendo esperança e sem Deus no mundo” mas agora, que somos uma nova criatura,
alguma dentro de nós mudou: passamos a precisar respirar as coisas do céu, sentimos e
percebemos que nem só de pão vive o homem mas também da palavra que procede da
boca de Deus. Nossa verdadeira comida e bebida, ou seja, aquilo que nos fortalece,
torna-se fazer a vontade do Pai e estar em plena comunhão com Ele.

Não é preciso dizer que tudo isso é uma completa loucura para os peixes. Eles estão
tranquilos lá no fundo do mar. Não sentem tal necessidade, não conseguem entender nem
nosso estilo de vida nem nossas prioridades. Agora, maior loucura é eu me esquecer da
minha identidade em Cristo e passar a viver e imitar os peixes.

Não posso, nem por um momento sequer, permitir que eles me influenciem. Eu não :sou
igual a eles, se eu passo a imitar o seu procedimento acabarei morrendo por falta de ar. É
como aquele ditado que diz: “”galinha que anda com pato acaba morrendo afogada”.

Diariamente, quero elevar meu espírito para as coisas celestiais , como fazemos na nossa
respiração – quero expirar as coisas da terra e inspirar as coisas do céu. Encher meus
pulmões do ar do Espírito e viver o meu dia em novidade de vida.

“Assim diz Deus, o Senhor, que criou os céus e os estendeu, e espraiou a terra, e a tudo
quanto produz; que dá a respiração ao povo