Author Archives

Pablo Aguirre

Peregrino em terra estranha à espera da inevitável chegada ao seu futuro e eterno lar.

Pessoas melhores do que você

janeiro 16, 2020 0 comentários

“Quem és tu que julgas o servo alheio? para o seu próprio senhor está em pé ou cai. Um faz diferença entre dia e dia; outro julga iguais todos os dias. Cada um tenha opinião bem definida em sua própria mente. Quem distingue entre dia e dia, para o Senhor o faz; e quem come para o Senhor o come. Tu porém, por que julgas a teu irmão? e tu porque desprezas o teu? pois todos compareceremos perante ao tribunal de Deus.” Rm 14: 4 – 10

Vivemos em uma época de muitas possibilidades doutrinárias e teológicas. Ao se multiplicar o acesso ao conhecimento e a informação múltiplos caminhos de interpretação bíblica também foram surgindo. Ao tentar compreender a expressão e a revelação de Deus, eu e você, podemos ir para caminhos opostos. Um crê na Teologia da Aliança, outro é dispensacionalista ou um outro acredita na Teologia das Múltiplas Alianças. Isso faz com que interpretemos questões como dízimo, sábado, sacerdócio ou ritos de formas bem diferentes.

Veja bem, é muito importante que você tenha clareza no que você crê. É como Pedro diz: “que devemos estar sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós” I Pe 3:15. Devemos ter as nossas convicções, afinal,  prestaremos conta da nossa consciência diante do Senhor. A minha observação não está no fato de você ter firmeza nas suas crenças mas é o perigo de perdermos o nosso coração quando temos que lidar com irmãos que pensam e vivem de forma diferente do que acreditamos ser o correto.  

Nossa soberba e orgulho se escondem em um aparente zelo pela palavra. Ai o inacreditável acontece … passamos a odiar, difamar, caluniar e destruir as pessoas que discordam de nós. Concluímos que nós somos os guardiões da verdade! Que a forma como eu entendo as escrituras é a correta e assumimos um papel que não nos cabe – de julgarmos ao próximo usando a nossa teologia como um perfeito instrumento de aferição. E assim, em nome do amor odiamos. Em nome da Igreja ferimos o próprio corpo de Cristo. Em nome de interpretações  bíblicas desobedecemos as instruções claras e diretas da bíblia sobre o amor, a mansidão, o domínio próprio ou a longanimidade. É como o ditado que diz: Acabamos matando o boi para exterminar o carrapato. 

A história de Joabe sempre me fala muito ao coração como uma advertência prática. Joabe foi o comandante dos exércitos do Rei Davi. Sempre à frente das campanhas militares, alcançou um merecido status no reino por sua valentia, bravura e aparente fidelidade ao rei. Um homem de guerra, pronto para defender a Israel contra qualquer inimigo ou traidor. Foi o que aconteceu quando ele matou a Abner, que não havia apoiado a passagem do reino a Davi e seguiu ao filho de Saul – Is-Bosete. Da mesma forma,  quando Absalão tentou usurpar o reino de Davi colocando Amasa como seu comandante … Joabe não hesitou quando com uma mão segurou na barba de Amasa para o beijar e com a outra enfiou a espada no seu abdômen derramando no chão as suas entranhas. Matou os traidores do reino, julgando com isso que estava cooperando com o propósito de Deus. Mas leia com atenção o final da história de Joabe. Quando Salomão filho de Davi assumiu o trono, ele sentencia a morte de Joabe dizendo em I Rs 2:32 … “Assim o Senhor fará recair a culpa de sangue de Joabe sobre a sua cabeça, porque arremeteu contra dois homens mais justos e melhores do que ele, e os matou à espada, sem que meu pai Davi o soubesse.” Joabe não perguntou ao Rei o que deveria fazer … impulsivamente ele deduziu que deveria eliminar àqueles que não tinham a mesma devoção que ele tinha pelo seu rei. Mas, essa expressão, sempre fica ecoando em meu coração … “homens mais justos e melhores”. Joabe olhava o exterior .. o Senhor Deus, no entanto,  olha o interior. Esse é o importante conselho que Paulo dá em I Co 4:5 quando diz: “nada julgueis antes do tempo, até que venha o Senhor, o qual não somente trará à plena luz as cousas ocultas das trevas, mas também manifestará os desígnios dos corações; e então, cada um receberá o seu louvor da parte de Deus” I Co 4:5. Cuidado, você pode estar desprezando pessoas por causa da doutrina diferente da sua mas que são mais justas e melhores do que você…

 

Fico pensando no Tribunal de Cristo … será que, naquele dia,  o Senhor avaliará qual é a nossa cartilha teológica? Será que seremos avaliados pela doutrina certa acerca das coisas?  Será que aquele que sonda mente e coração está interessado em conhecimento ou em obediência? Em informação ou em formação de caráter? Religião ou Realidade?

 

Assim como aconteceu com aquela figueira a beira do caminho de Jerusalém. Um dia também o Senhor Jesus se aproximará de mim para colher os frutos que foram produzidos ao longo da minha história. Será que encontrará o que procura para comer ou encontrará apenas folhas de uma vida que não aprendeu a viver? 

 

“Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo.” II Co 5:10  

 

Nostalgia

janeiro 9, 2020 0 comentários

“As minhas lágrimas têm sido o meu alimento dia e noite, enquanto me dizem continuamente: O teu Deus, onde está? Lembro-me destas cousas e dentro em mim se me derrama a alma – de como passava eu com a multidão do povo, e os guiava em procissão à casa de Deus, entre gritos de alegria e louvor ” Sl 42: 3 – 4

 

Mesmo já estando no dia 10 de janeiro, é bem possível que na sua cidade ou vizinhança ainda consiga ver luzes e decoração de natal piscando durante a noite -. isso me dá um sentimento estranho, tenho a sensação de que o clima já passou, as festas acabaram, já recebemos os presentes, já nos encontramos com a família e já vimos os fogos do ano novo. Todas essas coisas ficaram pra trás, agora começamos a nos preocupar em pagar os impostos do início do ano e fazer a matrícula dos filhos na escola.  A rede Globo começa a falar do novo big brother e tocar a música dos novos enredos de carnaval … e, mesmo assim, passamos pela rua e vemos algumas teimosas luzinhas de natal piscando por aí.

 

Esse meu sentimento pode ser definido como Nostalgia – palavra em português que é a junção de duas palavras gregas que significam algo como  “a dor gerada pelo desejo de voltar para casa” . Os gregos usavam a expressão Nostalgia para descrever a tristeza que as pessoas sentiam por estarem distantes do seu lar. Atualmente, usamos essa expressão para manifestar o sofrimento causado pela falta de alguma coisa que não temos mais. É a sensação de saudade originada pela lembrança de pessoas, momentos ou lugares que vivenciamos mas que agora não estão mais conosco.

 

Penso que a nostalgia faz parte do nosso existir. Termos saudades de coisas passadas é sinal de que vivemos a vida. Mas, a saudade, também nos lembra da inexorável ampulheta do tempo … ciclos, fases, pessoas vão passando pela nossa história e sentirmos falta é uma das experiências mais humanas que podemos ter.

 

Agora, o meu grande medo é quando eu fico nostálgico com as coisas que envolvem meu relacionamento com o Senhor. Quando eu leio a biblia mas ela já não me fala mais. Quando os cânticos não aquecem meu coração. Quando eu não consigo ouvir a voz de Deus em oração. Quando não tenho nenhum prazer ou alegria de estar com os irmãos. Quando hábitos abandonados e velhos pecados tornam-se meus melhores amigos… Os fundamentos que dirigiam anteriormente a minha fé vão se tornando elementos fora de moda. Coisas do passado. Não tem nenhuma conexão com o meu presente. São como luzes de natal em Janeiro.

 

A grande notícia para nós é que em Cristo o natal jamais termina. Podemos e devemos desfrutar de um renovo que não tem fim. Se todas as coisas passam e acredite elas passarão, o Senhor permanecerá para sempre.  Quando voltamos para a casa do pai a nostalgia acaba. A dor da falta e da ausência é substituída pela alegria da presença e doçura da comunhão. 

 

Não aceite ou se conforme com uma vida cristã nostálgica. Volte hoje para os braços do Pai e experimente, mais uma vez, a experiência singular de se perceber seguro e acolhido em Deus.

 

“Então a virgem se alegrará na dança e também os jovens e os velhos: tornarei o seu pranto em júbilo e os consolarei: transformarei em regozijo a sua tristeza. Porque satisfiz à alma cansada, e saciei a toda alma desfalecida.” Jeremias 31: 13,25

 

Agenda

janeiro 2, 2020 0 comentários

‘Quem guiou o Espírito do Senhor? ou, como o seu conselheiro o ensinou? Com quem tomou Ele conselho, para que lhe desse compreensão? Quem o instruiu na vereda do juízo e lhe ensinou sabedoria e lhe mostrou o caminho do entendimento?” Isaías 40: 13,14

 

Conta-se a história de que, durante a guerra de secessão norte-americana, quando um General trouxe más notícias sobre a frente de batalha ao então presidente Abraham Lincoln, esse general teria dito: “espero que Deus esteja no nosso lado” ao que Lincoln respondeu: ” desejo errado, eu espero que nós estejamos ao lado de Deus”. 

 

Isso pode parecer apenas um jogo de palavras .. mas desejar que Deus esteja ao nosso lado abençoando nossas intenções, desejos e programas é completamente diferente de desejarmos estar ao lado de Deus entendendo as Sua intenções, os Seus desejos e o Seu programa para nós. 

 

Olhando para o meu estilo de vida, posso constatar que,  muitas vezes, em muitas situações, eu nem sequer pergunto ao Senhor a sua opinião sobre um assunto. Eu simplesmente vou fazendo, andando e decidindo por minha conta. Claro que, como bom cristão que sou, vou orando e pedindo para que Deus corra atrás de mim garantindo que tudo me vá bem.  

 

Mas, pare para pensar um pouco … veja se isso não é uma completa loucura.  Será que O Eterno àquele que nunca foi aconselhado por ninguém, não tenha uma direção, opinião ou desejo para qualquer situação da minha vida?  Será que existe alguma situação que se você pedir direção ao Senhor Ele dirá: “nossa que pergunta difícil, eu não sei o que te aconselhar, faça o que você achar melhor, com certeza você é mais sábio e entendido do que Eu nessa área”.  

 

Estamos começando mais um ano, nossa agenda de 2020 está novinha, com as folhas ainda em branco para serem preenchidas pelo tempo e dias que virão sobre nós.  Eu não sei o que me espera em 2020 não consigo nem garantir que chegarei ao final do ano escrevendo minha história na página do dia 31/12… Mas uma coisa eu sei: o Senhor Deus tem a sua agenda para mim. Ele deseja escrever a Sua história em cada página do meu ano. Quer ser o meu conselheiro, meu protetor o meu guia e consolador. Ele deseja crescer em importância e presença em todos os aspectos da minha existência. 

 

Sendo assim… a minha oração para 2020 é que eu possa ter um coração ensinável, olhos que vêem e ouvidos que escutam. Que eu tenha a coragem de perguntar ao meu Senhor qual é a agenda Dele para mim e que eu tenha a firmeza necessária para jogar a minha agenda fora e me submeter, com alegria e submissão, à Sua perfeita vontade.

 

” E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” Rm 12:2

 

Um menino nos nasceu

dezembro 19, 2019 0 comentários

Adão  respondendo a Deus disse: Ouvi a tua voz no jardim, e, porque estava nu, tive medo, e me escondi. Gn 3:10

Essa é a primeira vez em que a Bíblia registra uma fala do homem para Deus. Uma criatura com consciência do seu pecado se percebendo indigno e desnudo tenta fugir envergonhado do Seu Criador que é Santo Santo Santo. A última vez que as escrituras registram uma fala do homem está no penúltimo versículo da bíblia em Apocalipse 22:20 onde o homem diz: “Vem Senhor Jesus”.

Quando lemos a bíblia de ponta a ponta vemos bem no início sobre a queda e a tragédia humana no jardim e quando chegamos ao final ficamos sabendo de que o homem habitará eternamente com Deus em uma cidade que desce dos céus. O que aconteceu nessa história? O que levou o homem de esconder o seu rosto de Deus passar a desejar ardentemente a vinda do Filho de Deus? O que bíblia nos conta, é que entre a tragédia do jardim e o triunfo da cidade uma cruz foi levantada.  “Na plenitude dos tempos Deus enviou o seu filho nascido de mulher” Gl 4:4 e Ele mesmo operou o seu plano de salvação e redenção criando um novo caminho até Ele por meio do sangue de Cristo. 

Louvamos a Deus! Porque quando Ele enviou o seu filho a essa terra, na noite do seu nascimento uma multidão de anjos já proclamaram: “Glória a Deus nas alturas! Paz aos homens a quem Deus quer bem” Lucas 2: 14 Deus quer o bem dos homens. Ele nos amou de tal maneira que deu o seu único filho para que todo aquele que nele crê tenha vida eterna.

Enquanto alguns dizem por aí que o melhor ainda está por vir. Nós cristãos dizemos: o melhor já veio e se chama Jesus Cristo o Dom de Deus para a humanidade. E é justamente porque o messias veio é que teremos um futuro glorioso pela frente. 

Semana que vem é natal… e vendo as luzes, músicas, decorações e tudo que fala da história de Jesus não posso deixar de pensar no imenso privilégio que nós temos de conhecer o Jesus da história. E, parafraseando uma fala de Chesterton: eu definiria o natal da seguinte forma: enquanto a data é a pequena publicidade do incrédulo é o grande segredo do cristão.

“Porque um menino nos nasceu e um filho se nos deu” Is 9:6

 

Imutável

dezembro 13, 2019 0 comentários

“Não vos enganeis meus amados irmãos; Toda boa dádiva e todo dom perfeito vem lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudanças” Tiago 1:16,17

 

A ideia de alguma coisa que não muda quase que nos soa muito sem graça. A repetição, de qualquer coisa que seja, com o tempo se mostra cansativo e enfadonho. Isso porque nada é pleno em si mesmo e com o tempo enjoamos do velho e queremos experimentar algo novo. Não só as coisas ou as situações mas, principalmente nós mesmos, como seres humanos, mudamos constantemente. Mudamos nossos desejos, metas, ambições, amores e prazeres. É como diz o ditado: uma coisa na vida não muda o fato de que tudo muda.

 

E todas essas mudanças são a prova real e prática da nossa imperfeição. Porque aquilo que é perfeito e pleno de significado e propósito  jamais precisará ser retocado, aperfeiçoado ou alterado. Porque de duas uma: ou nada que existe no Universo é pleno e ficaremos o resto da nossa existência correndo atrás de alguma coisa que não poderá nos trazer descanso ou … existe uma pessoa onde encontraremos TODAS as respostas para aquietar e saciar a nossa alma. E assim, dessa forma, chegamos mais uma vez até o Senhor Deus.

 

Ao contrário de nossa experiência, o Senhor é absolutamente perfeito em tudo para sempre. E é justamente por isso que Ele não muda. Porque não há nada para ser acrescentado Nele. Ele é a plenitude e apenas Ele é capaz  de encher tudo em todas as coisas.

 

Bem, se Deus é o centro: imutável, perfeito e cheio de amor porque então muitas vezes nos sentimos sozinhos e desanimados? Essa é uma lição muito importante: o problema não está naquele que jamais muda … o problema estará sempre em nós: que somos de ânimo dobre e inconstantes em nossos caminhos. Podemos entender melhor ao observar a astronomia. O que é o inverno – senão o momento em que o planeta se distancia do Sol. E o que é a noite – senão quando o planeta, por causa do movimento de rotação, fica de costas para o Sol. O problema nunca está no Sol, ele está ali sempre firme, caloroso e brilhante. O problema está em nossas oscilações e incredulidade que nos afastam da única pessoa que jamais poderíamos cogitar de nos afastar. 

 

Tento me lembrar das experiências reais e do primeiro amor que eu  já vivenciei por Cristo. Lembro-me dos momentos de avivamento onde eu era guiado pela fé e não pelas circunstâncias. Quando a esperança da volta de Cristo era bendita e vivida dentro em mim Quando o Maranata era a primeira palavra dita no dia e última antes de dormir. Tento me lembrar de todas as vezes de que o Senhor era o meu Sol. 

 

O Senhor é o mesmo … Ele não mudou … é como diz Hebreus “Jesus Cristo ontem e hoje é o mesmo, e o será para sempre” Hb 13:8 quem mudou fui eu … fui eu que fui seduzido por outras vozes e segui outros caminhos e me afastei Dele. 

 

É preciso coragem e revelação espiritual para chegarmos a essa triste constatação: o Senhor jamais muda. Somos nós que mudamos e, infelizmente, muitas vezes para pior.

 

“Tenho porém contra ti que abandonaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras” Ap 2: 4,5

 

Maturidade

dezembro 5, 2019 0 comentários

“Pois com efeito, quando devíeis ser mestres,atendendo ao tempo decorrido,tendes necessidade de alguém que vos ensine de novo quais são os princípios elementares dos oráculos de Deus, assim vos tornastes como necessitados de leite, e não de alimento sólido. Ora, todo aquele que se alimenta de leite, é inexperiente na palavra da justiça, porque é criança. Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm a as suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem mas também o mal. “ Hb 5:12 – 14

 

Recentemente, na empresa que trabalho teve o dia da saúde … então todos nós fizemos alguns exames. Um deles é o exame chamado de bioimpedância que diz, baseado em algumas análises,  qual é a idade do corpo da pesssoa.O resultado não me surpreendeu, o meu corpo está 8 anos mais velho do que a minha idade biológica, ou seja, eu não estou cuidando do meu corpo de forma adequada e ele está sofrendo os efeitos do meu sedentarismo e maus hábitos.

 

Claro que fiquei pensando na aplicação dessa situação para a minha idade espiritual. Isso porque a minha idade espiritual não necessariamente acompanha a minha idade de conversão. Então eu posso ter 30 anos de conversão mas ter 5 anos de idade espiritual.

 

Como o Senhor disse a Nicodemos, um dia nascemos de novo para Deus, e nos percebemos como crianças recém nascidas desejosas e necessitadas do genuíno leite espiritual (I Pe 2:1). Descobrimos um mundo novo, passamos a entender o que está por detrás das coisas, ao avançar no entendimento ficamos sabendo que, de fato, são os agentes da dimensão espiritual que dirigem e governam a dimensão física de matéria. Então começamos aprender a orar. Exercitamos a nossa fé em conhecer cada vez mais ao próprio Deus, o pai de nosso Senhor Jesus Cristo, por meio do Espírito Santo que Ele mesmo enviou para habitar dentro de nós. E, vamos crescendo e ganhando entendimento das coisas espirituais e como Hebreus testemunha de Moises, permanecemos firmes como quem vê aquele que é invisível (hb 11:27).

 

O que o escritor de hebreus define como um sinal de maturidade está justamente no fato de que um adulto tem a capacidade de discernir as questões de maneira espiritual. Isso não cai do céu ou vem automaticamente, essa capacidade de enxergar as situações pela perspectiva divina cresce e aumenta em nós pela prática, ao exercitarmos a nossa faculdade para discernir o bem e o mal em todo o momento.

 

O que caracteriza a meninice é o materialismo. É olharmos as coisas na perspectiva terrena e humana. Esquecemos que a nossa herança está nos céus (I Pe 1:4) e investimos a nossa energia em acumular tesouros na terra. Esquecemos que somos peregrinos e aguardamos a pátria celestial (Fp 3:20) e fincamos nossas raízes neste mundo. Esquecemos que o Senhor já nos tem abençoado com toda sorte de bençãos espirituais nas regiões celestiais (Ef 1:3) e não tomamos posse porque estamos focados nas bençãos materiais. Esquecemos que a nossa luta não é contra sangue e carne  mas sim contra principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes (Ef 6:12) e passamos a brigar e lutar com a esposa, o filho e os irmãos. É o que Paulo diz na lata aos corintios: “Eu porém irmãos não vos pude falar como a espirituais; e sim como a carnais, como a crianças em Cristo. Leite vos dei a beber, não vos dei alimento sólido; porque ainda não podíeis suportá-lo. Nem ainda agora o podeis, porque ainda sois carnais.””I Co 3:1 – 2

 

E assim como acontece no mundo físico, uma criança espiritual não tem tamanho nem força para lutar as guerras do Senhor. A sua carnalidade a leva sempre a correr atrás de brinquedinhos espirituais e do leitinho para o dia mas ela não tem a capacidade de absorver a energia proveniente do alimento sólido que a fortalece para a batalha. 

 

Possa o Senhor renovar a nossa mente e nos livrar da paralisia do crescimento espiritual. Para que quando estivermos diante da presença Dele venhamos a nos apresentar como soldados que combateram o bom combate.

 

“Até que cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, a perfeita varonilidade à medida da estatura da plenitude de Cristo, para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para o outro””Ef 4:13,14

 

Latrina

novembro 28, 2019 0 comentários

“”Penetraram na casa de Baal, e as queimaram. Também quebraram a própria coluna de Baal, e derrubaram a casa de Baal, e a transformaram em latrinas até o dia de hoje.”  II Rs 10:26,27

Lendo a história de Israel podemos perceber os esforços do Senhor Jeová em ensinar, repreender e corrigir o seu povo. Muitas vezes Ele usava de coisas práticas da vida para testemunhar das coisas espirituais. Por ex: O Senhor Mandou Jeremias andar com um cinto de linho apodrecido para revelar o que aconteceria com Judá. Por três anos Isaias andou despido e descalço por sinal contra o Egito ou quando o Senhor ordenou Oseias a se casar com uma prostituta e ter filhos de prostituição para, assim,  profetizar acerca do adultério espiritual de Israel.

 

Da mesma forma, acho muito poderosa e radical a mensagem que o Senhor Deus está tentando nos ensinar com o que aconteceu com o templo de Baal. Conhecemos a história, como o povo de Israel estava constantemente flertando com a idolatria ao cultuar e servir a um outro senhor – que é o significado da palavra Baal (só que esse Senhor é com s minúsculo). Após uma restauração promovida por Jeú, a casa de Baal foi transformada em banheiro público. Isso mesmo, essa casa que para muitos era sagrada, foi transformada em um lugar onde os homens despejam as suas excreções. 

 

E o que faz nosso sistema excretor? Ele joga fora tudo aquilo que ingerimos mas que o nosso corpo não absorve ou aproveita. Tudo o que tem valor para a vida o corpo absorve mas aquilo que não presta nosso corpo joga fora. É como se Deus tentasse nos ensinar dizendo: tudo o que você fizer que não é para mim ou por meio de mim será como o lixo. Um total desperdício.

 

Paulo entendeu essa verdade. Assim ele expressa seu sentimento aos filipenses quando diz: “”por amor de Cristo,perdeu todas as cousas e as considerava como refugo (ou em outras versões – esterco), para ganhar a Cristo.””Fp 3:8  Que lindo testemunho do apóstolo! Cristo é o meu grande amor. Ele é o meu tesouro todas as outras coisas, comparadas a Ele, são como lixo – não tem proveito. E esse é o genuíno testemunho do Cristão… não tem nada haver com uma religião, não é um conjunto de normas e restrições que eu me submeto. Mas tem haver com uma pessoa, que conquistou meu amor de tal maneira, que todas as outras coisas ficaram ridiculamente menores. A religião me diz o que eu não posso fazer. A vida, porém, me mostra que nada dessas coisas tem de fato valor.  O legalismo me proíbe de um monte de coisas e de desejos, o amor me liberta de todas elas.

 

Eu tento perceber o que o Espírito Santo quer me ensinar, apesar do meu coração obstinado, eu preciso meditar nessa verdade: Cristo é tudo e tudo que é fora dele nada é. Me envergonho em perceber que ainda tento relativizar essa realidade. E muitas vezes coloco o que é esterco como alguma coisa de valor.

 

A saída para essa situação é investir tempo em conhecer cada vez mais ao Senhor Jesus – se Ele crescer em importância e amor dentro da minha história, todas as outras coisas, se tornarão insignificantes e não encontrarão em mim, nenhum sinal de desejo.

“Quem mais tenho eu no céu? Não há outro em quem eu me compraza na terra.” Sl 73:25

 

Entropia

novembro 22, 2019 0 comentários

“”Não desanimamos, pelo contrário, mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, contudo o nosso homem interior se renova de dia em dia. Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação.””II Co 4:16,17

Vivemos em um grande sistema que está em profunda desordem. Podemos observar essa desordem nas coisas pequenas da vida: por ex: uma fruta tem seu ciclo de maturação e depois que arrancamos ela da árvore, rapidamente apodrece. O nosso corpo também está em constante desordem e degradação. É por isso que comemos, bebemos água e dormimos, para ajustar e regular o organismo, caso contrário o sistema entrará em falência. E ainda que você tenha o máximo de cuidado com o seu corpo, em algum momento, inevitavelmente,  ele entrará em colapso e uma desordem no seu organismo gerará a sua morte. Infelizmente também descobrimos que existe uma desordem no sistema social. Pessoas enlouquecem, se perdem para as drogas, prazeres e dinheiro. Como consequência dessas coisas, estamos cercados por sociopatas, estupradores, ladrões. Eles podem roubar, machucar e matar não apenas a nós mas àqueles que nós amamos. Sofremos diretamente com a desordem emocional dos outros e isso também gera desordens emocionais dentro de nós. 

O grau de desordem em um sistema é conhecido na literatura como Entropia. As empresas, relacionamentos, a saúde …todas as coisas tem um certo grau de entropia … de maneira de que, se nada for feito, tudo tende a desordem. 

Paulo percebeu essa desordem operando sobre ele quando ele diz que o meu homem exterior está em corrupção, em outra passagem também ao coríntios Paulo diz que dia a dia ele está morrendo … Isso porque ainda estamos inseridos em um mundo que jaz no maligno. A ideia de que problemas e desordens não sobrevém sobre os filhos de Deus é um pensamento que, mais cedo ou mais tarde, será confrontado com a entropia da vida. Mas, o que a Bíblia nos diz, é que apesar de toda a desordem externa, o Senhor Deus é poderoso e deseja produzir uma perfeita ordem dentro de nós. Paulo continua o texto dizendo: se por fora eu estou em corrupção por dentro tenho experimentado um renovo todos os dias. Se por fora existe desordem no meu espírito Deus tem ordenado todas as coisas. 

Pensando nisso me recordo da história de um missionário que estava viajando de navio quando ouviu o capitão do barco dizer: “estamos passando por um espesso nevoeiro em uma região com muitas rochas … se alguém aqui acredita em Deus, é um bom momento de pedir para que ele nos salve””. Então aquele missionário ajoelhou-se e pediu com sinceridade: “”Senhor tire as pedras do nosso caminho”. A viagem transcorreu bem eles chegaram ao destino sem nenhum problema. Quando ele voltava dessa viagem ao passar por aquela região novamente – agora em um lindo dia de sol e sem nenhuma neblina. Ele se lembrou da experiência passada e orou: “”Deus, muito obrigado porque naquele dia o Senhor tirou as pedras do caminho” no que ele entendeu o Senhor falando ao seu coração dizendo: “”Não meu filho, eu não tirei as pedras do caminho, eu elevei o nível das águas de maneira que vocês passaram por cima de todas as pedras.””

Eu não sei quais são os problemas, dores e desordens que ainda terei que passar durante a minha peregrinação nesta terra.  Eu não sei quais pedras estarão no meu caminho. Mas uma coisa eu tenho absoluta certeza, o Senhor Deus que também é o meu pai, estará sempre comigo. E Ele tem Graça superabundante para elevar o nível da minha fé e tem poder para, em qualquer situação, ordenar ordem , vida e paz para o meu homem interior.

“E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus””Fp 4:7

 

Empurrando o carro

novembro 7, 2019 0 comentários

“Fazei e guardai, pois, tudo quanto eles vos disserem, porém não os imiteis nas suas obras, porque dizem e não fazem.”  Mateus 23:3

 

Certa vez, Um grupo de pessoas fez a seguinte experiência: colocaram um carro enguiçado na rua e uma pessoa parada ao lado pedindo ajuda… esperaram por alguns minutos e ninguém parou para ajudar. Depois pegaram o mesmo carro, a mesma pessoa na mesma rua e, ao invés de ficar parada pedindo ajuda ela começou a empurrar o carro … em pouco tempo outras pessoas se apresentaram para ajudar.

 

Não precisaríamos fazer uma experiência como essa para saber, intuitivamente,  essa verdade: pessoas se identificam e se solidarizam muito mais com aqueles que estão tentando do que com aqueles que estão simplesmente apontando o problema. 

 

A Bíblia nos mostra que nossas palavras necessitam andar de mãos dadas com o nosso comportamento. Esse é o testemunho sobre o Senhor em Atos 1:1 quando Lucas diz das cousas que Jesus começou a fazer e a ensinar ou quando João Batista enviou mensageiros para conversar com o Senhor. Ele responde “ide, anunciai a João o que estais ouvindo e vendo:” Paulo escrevendo aos Filipenses ele pede para que se lembrassem das coisas que eles ouviram e viram nele” da mesma forma na sua última carta,falando a Timoteo ele diz: “tu porém, tens seguido de perto o meu ensino e procedimento”. A proclamação do evangelho é muito mais do que palavras que se pregam é uma vida que se vive. E essa é a critica do texto do inicio desta meditação quando o Senhor fala dos fariseus … teoria nota 10 prática nota zero. Ensinam sobre o amor mas não amam. Reclamam da falta de compromisso dos outros mas eles mesmos não se consagram. Ficam na periferia murmurando e criticando tudo e todos. Sempre, claro, envolvendo suas observações em uma falsa aparência de piedade. 

 

Muitas vezes a vida de igreja parece com um carro enguiçado. O que era para ser não é e tudo parece estagnado. Enxergamos os problemas e ai podemos reagir de duas formas: ou ficamos murmurando e reclamando da situação e das pessoas ou começamos a empurrar o carro sabendo que alguma coisa precisa ser feita. É como se diz: a mudança que espero nos outros começa primeiramente dentro de mim. 

 

Tenho a impressão que se você decidir agir mais do que falar acontecerá duas coisas: A primeira é que, com o tempo, outras pessoas, encorajadas pelo seu exemplo, começarão a empurrar o carro junto com você. E a segunda coisa é que você perceberá que outros irmãos já estavam empurrando o carro muito antes de você começar.

 

“Não amemos de palavra nem de língua mas de fato e de verdade” I Jo 3: 18

 

A melhor parte

outubro 31, 2019 0 comentários

“Indo eles de caminho entrou Jesus num povoado. E certa mulher, chamada Marta, hospedou-o na sua casa. Tinha ela uma irmã chamada Maria, e esta quedava-se assentada aos pés do Senhor a ouvir-lhe os ensinamentos. Marta agitava-se de um lado para outro, ocupada e muitos serviços. Então se aproximou de Jesus e disse: Senhor, não te importas de que minha irmã tivesse deixado que eu fique a servir sozinha? Ordena-lhe, pois que venha ajudar-me. Respondeu-lhe o Senhor: Marta! Marta! andas inquieta e te preocupas com muitas cousas. Entretanto, pouco é necessário, ou mesmo uma só cousa: Maria, pois, escolheu a boa parte e esta não lhe será tirada.”  Lucas 10: 38 – 42

 

Talvez você já tenha escutado alguém, ao fazer uma reflexão sobre esse texto dizer, que mais importante do que servir ao Senhor é estar aos seus pés. Isso é, em qualquer perspectiva, uma verdade absoluta porque podemos trabalhar para o Senhor sem estarmos aos seus pés. Porém quem estiver aos seus pés inevitavelmente trabalhará para Ele.

O problema que surge é que, muitas vezes parece existir a necessidade de fazermos uma escolha: ou somos como Marta ou somos como Maria. Temos de escolher: ou trabalhamos ou ficamos parados aos seus pés. Isso tem levado alguns de nós a uma vida cristã pouco prática e até mesmo ociosa. Nos contentamos com uma experiência basicamente contemplativa e pouco operosa. Lendo Tiago capitulo 2 vemos claramente, que qualquer bom observador da nossa vida pode concluir o que nós realmente cremos, não pelo que falamos mas pelo que fazemos. Tiago diz: eu com a minhas obras te mostrarei a minha fé. 

De maneira que não penso que o propósito da história de Marta e Maria seja nos mostrar que essas duas dimensões (trabalho e contemplação) não possam andar juntas.Creio que essa história nos revela o perigo de termos um coração dividido. 

Lucas começa nos apresentando Marta: é ela quem hospeda ao Senhor e com sinceridade ela se ocupou em servi-Lo em muitas coisas. Até o momento em que Marta para de olhar para o Senhor e começa olhar para a sua irmã… E ao olhar para a sua irmã – se comparou. E ao se comparar – se incomodou. E ao se incomodar – reclamou. E ao reclamar – Ela ordenou ao Senhor que ordenasse o que a sua irmã deveria fazer. 

E é nessa situação que o Senhor Jesus corrige o coração de Marta. Porque ela havia tirado os seus olhos do Senhor e passou a olhar para os lados. E quando servimos a Deus olhando para as pessoas e não para Ele, nós perdemos a boa parte. Passamos a nos sentir superiores que os outros. Tiramos conclusões e julgamos ao próximo tendo o nosso serviço como referência. Passamos a reclamar uns dos outros e dizer o que o outro deve fazer. Pense no constrangimento que Marta passou. É como se o Senhor Jesus a corrigisse dizendo “não me diga o que devo ordenar, mas se eu fosse ordenar alguma coisa para alguém seria para você Marta… e eu te ordenaria que você olhasse apenas para mim e aquietasse o seu coração:”

O texto diz que Maria ficava aos pés do Senhor ouvindo os seus mandamentos. De maneira que eu tenho para mim,  que se Marta não tivesse falado nada e com alegria continuasse a servir ao Senhor, em algum momento o Senhor Jesus falaria para Maria: “agora se levante e vá ajudar a sua irmã”. Então teríamos essas duas mulheres servindo e contemplando apenas o Senhor com alegria e integridade de coração. 

Minha oração é que assim como Marta eu me ocupe em servir ao Senhor Jesus em muitas coisas mas, que assim como Maria, eu sempre esteja aos seus pés olhando apenas para Ele.

“Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como para o Senhor” Cl 3:23