Daily Archives

9 de janeiro de 2020

Nostalgia

janeiro 9, 2020 0 comentários

“As minhas lágrimas têm sido o meu alimento dia e noite, enquanto me dizem continuamente: O teu Deus, onde está? Lembro-me destas cousas e dentro em mim se me derrama a alma – de como passava eu com a multidão do povo, e os guiava em procissão à casa de Deus, entre gritos de alegria e louvor ” Sl 42: 3 – 4

 

Mesmo já estando no dia 10 de janeiro, é bem possível que na sua cidade ou vizinhança ainda consiga ver luzes e decoração de natal piscando durante a noite -. isso me dá um sentimento estranho, tenho a sensação de que o clima já passou, as festas acabaram, já recebemos os presentes, já nos encontramos com a família e já vimos os fogos do ano novo. Todas essas coisas ficaram pra trás, agora começamos a nos preocupar em pagar os impostos do início do ano e fazer a matrícula dos filhos na escola.  A rede Globo começa a falar do novo big brother e tocar a música dos novos enredos de carnaval … e, mesmo assim, passamos pela rua e vemos algumas teimosas luzinhas de natal piscando por aí.

 

Esse meu sentimento pode ser definido como Nostalgia – palavra em português que é a junção de duas palavras gregas que significam algo como  “a dor gerada pelo desejo de voltar para casa” . Os gregos usavam a expressão Nostalgia para descrever a tristeza que as pessoas sentiam por estarem distantes do seu lar. Atualmente, usamos essa expressão para manifestar o sofrimento causado pela falta de alguma coisa que não temos mais. É a sensação de saudade originada pela lembrança de pessoas, momentos ou lugares que vivenciamos mas que agora não estão mais conosco.

 

Penso que a nostalgia faz parte do nosso existir. Termos saudades de coisas passadas é sinal de que vivemos a vida. Mas, a saudade, também nos lembra da inexorável ampulheta do tempo … ciclos, fases, pessoas vão passando pela nossa história e sentirmos falta é uma das experiências mais humanas que podemos ter.

 

Agora, o meu grande medo é quando eu fico nostálgico com as coisas que envolvem meu relacionamento com o Senhor. Quando eu leio a biblia mas ela já não me fala mais. Quando os cânticos não aquecem meu coração. Quando eu não consigo ouvir a voz de Deus em oração. Quando não tenho nenhum prazer ou alegria de estar com os irmãos. Quando hábitos abandonados e velhos pecados tornam-se meus melhores amigos… Os fundamentos que dirigiam anteriormente a minha fé vão se tornando elementos fora de moda. Coisas do passado. Não tem nenhuma conexão com o meu presente. São como luzes de natal em Janeiro.

 

A grande notícia para nós é que em Cristo o natal jamais termina. Podemos e devemos desfrutar de um renovo que não tem fim. Se todas as coisas passam e acredite elas passarão, o Senhor permanecerá para sempre.  Quando voltamos para a casa do pai a nostalgia acaba. A dor da falta e da ausência é substituída pela alegria da presença e doçura da comunhão. 

 

Não aceite ou se conforme com uma vida cristã nostálgica. Volte hoje para os braços do Pai e experimente, mais uma vez, a experiência singular de se perceber seguro e acolhido em Deus.

 

“Então a virgem se alegrará na dança e também os jovens e os velhos: tornarei o seu pranto em júbilo e os consolarei: transformarei em regozijo a sua tristeza. Porque satisfiz à alma cansada, e saciei a toda alma desfalecida.” Jeremias 31: 13,25