Imutável

dezembro 13, 2019 0 comentários

“Não vos enganeis meus amados irmãos; Toda boa dádiva e todo dom perfeito vem lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudanças” Tiago 1:16,17

 

A ideia de alguma coisa que não muda quase que nos soa muito sem graça. A repetição, de qualquer coisa que seja, com o tempo se mostra cansativo e enfadonho. Isso porque nada é pleno em si mesmo e com o tempo enjoamos do velho e queremos experimentar algo novo. Não só as coisas ou as situações mas, principalmente nós mesmos, como seres humanos, mudamos constantemente. Mudamos nossos desejos, metas, ambições, amores e prazeres. É como diz o ditado: uma coisa na vida não muda o fato de que tudo muda.

 

E todas essas mudanças são a prova real e prática da nossa imperfeição. Porque aquilo que é perfeito e pleno de significado e propósito  jamais precisará ser retocado, aperfeiçoado ou alterado. Porque de duas uma: ou nada que existe no Universo é pleno e ficaremos o resto da nossa existência correndo atrás de alguma coisa que não poderá nos trazer descanso ou … existe uma pessoa onde encontraremos TODAS as respostas para aquietar e saciar a nossa alma. E assim, dessa forma, chegamos mais uma vez até o Senhor Deus.

 

Ao contrário de nossa experiência, o Senhor é absolutamente perfeito em tudo para sempre. E é justamente por isso que Ele não muda. Porque não há nada para ser acrescentado Nele. Ele é a plenitude e apenas Ele é capaz  de encher tudo em todas as coisas.

 

Bem, se Deus é o centro: imutável, perfeito e cheio de amor porque então muitas vezes nos sentimos sozinhos e desanimados? Essa é uma lição muito importante: o problema não está naquele que jamais muda … o problema estará sempre em nós: que somos de ânimo dobre e inconstantes em nossos caminhos. Podemos entender melhor ao observar a astronomia. O que é o inverno – senão o momento em que o planeta se distancia do Sol. E o que é a noite – senão quando o planeta, por causa do movimento de rotação, fica de costas para o Sol. O problema nunca está no Sol, ele está ali sempre firme, caloroso e brilhante. O problema está em nossas oscilações e incredulidade que nos afastam da única pessoa que jamais poderíamos cogitar de nos afastar. 

 

Tento me lembrar das experiências reais e do primeiro amor que eu  já vivenciei por Cristo. Lembro-me dos momentos de avivamento onde eu era guiado pela fé e não pelas circunstâncias. Quando a esperança da volta de Cristo era bendita e vivida dentro em mim Quando o Maranata era a primeira palavra dita no dia e última antes de dormir. Tento me lembrar de todas as vezes de que o Senhor era o meu Sol. 

 

O Senhor é o mesmo … Ele não mudou … é como diz Hebreus “Jesus Cristo ontem e hoje é o mesmo, e o será para sempre” Hb 13:8 quem mudou fui eu … fui eu que fui seduzido por outras vozes e segui outros caminhos e me afastei Dele. 

 

É preciso coragem e revelação espiritual para chegarmos a essa triste constatação: o Senhor jamais muda. Somos nós que mudamos e, infelizmente, muitas vezes para pior.

 

“Tenho porém contra ti que abandonaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras” Ap 2: 4,5